home Finanças Resumo do livro Pai Rico Pai Pobre

Resumo do livro Pai Rico Pai Pobre

Resumo do livro Pai Rico Pai Pobre

Por Leonardo dos Reis Vilela @leoreis no MyPush app ou pelo LinkedIn.

Em 2000 eu estava no cursinho me preparando para o vestibular de Ciência da Computação na Universidade Federal de Uberlândia. Nesta época eu era um adolescente sedento por aprender. Estava com meus 17 anos de idade e havia mudado de Jataí-GO para Uberlândia-MG. Tudo se parecia novo para mim.

Eu estava no cursinho me preparando para o vestibular alguns meses adiante, porém já trabalhava com desenvolvimento de software há um certo tempo. Eu me preocupava onde investir o dinheiro, mesmo ganhando pouco, pois já pensava dentro de mim que não importava quanto você ganhasse, mas quanto economizaria. Então, ouvi falar de um livro chamado “Pai Rico Pai Pobre” e tive a curiosidade de lê-lo.

O livro é sem dúvidas de fácil leitura, os ensinamos simples e diretos. Porém, mais do que recomendar o livro, passei a me educar mais financeiramente e isto fez uma grande diferença em minha vida. Mas e quanto ao livro?

O autor faz perguntas centrais que nos faz refletir sobre nossa cultura e sobre a nossa vida, como: “O que os ricos ensinam a seus filhos sobre o dinheiro? A escola prepara as crianças para a vida real?” Estas foram uma das perguntas que mais me chamou a atenção para ler o livro, pois afinal eu estava no cursinho. Eu li o livro rapidamente. Certamente, como meu pai na vida real havia me ensinado sobre “ter equilíbrio” e embora o livro criticasse e fizesse refletir sobre a educação tradicional, eu não abandonei o cursinho e tão pouco a universidade. Passei no vestibular, cursei Ciência da Computação e depois pela UFU tive a oportunidade de cursar, três anos mais tarde, o curso de Engenharia da Computação em um intercâmbio no INSA em Lyon, França.

A escola prepara as crianças para a vida real? Esta é a primeira pergunta com que o leitor se depara neste livro. O recado é ousado e está implícito: boa formação e notas altas não bastam para garantir o sucesso de alguém. O mundo mudou; a maioria dos jovens têm cartão de crédito, antes mesmo de concluir os estudos, e nunca tiveram aula sobre dinheiro, investimento, juros etc. Ou seja, vão para a escola, mas continuam analfabetos financeiros, despreparados para enfrentar um mundo que dá mais ênfase à despesa do que à poupança.

Para os autores, o conselho mais perigoso que se pode dar a um jovem nos dias de hoje é: “Vá a escola, tire notas altas e depois procure um emprego seguro.” O fato é que as regras mudaram, e não existe mais emprego certo para ninguém. Recentemente escrevi um artigo intitulado “Nossos empregos estão em xeque e sendo eliminados. A culpa é da tecnologia ?”. O livro “Pai Rico, Pai Pobre” demonstra que o problema não está entre ser empregado ou empregador, mas entre ter o controle de seu próprio destino ou entregar esse controle a alguém. É essa a tese de Robert Kiyosaki e Sharon Lecther neste livro original e contundente. Para eles a formação proporcionada pelo sistema de ensino não prepara os jovens para o mundo que encontrarão depois de formados.

Durante boa parte do livro os autores tendem a perguntar ao leitor: “A escola prepara as crianças para o mundo real?”, no final do livro você terá concluído que não. Como ficar rico então? Com certeza os ricos não trabalham pelo dinheiro, e sim, colocam o dinheiro para trabalharem para eles. Na prática é você colocar o dinheiro para gerar mais dinheiro, e isso se faz através dos mais diversos investimentos. As pessoas menos instruídas não investem, apenas gastam todo o dinheiro ganho no mês, e acabam entrando na “Corrida dos Ratos”.

A “Corrida dos Ratos”… “Se você observar a vida das pessoas de instrução médias, trabalhadoras, você verá uma trajetória semelhante. A criança nasce e vai para a escola. Os pais se orgulham porque o filho se destaca, tira notas boas ou altas e consegue entrar na universidade. O filho se forma, talvez faça uma pós-graduação ou segue uma carreira segura e tranqüila. Encontra esse emprego, quem sabe de médico ou de advogado, ou entra para as Forças Armadas ou para um serviço público. Geralmente, o filho começa a ganhar dinheiro, chega um monte de cartões de crédito e começam as compras, se é que já não tinham começado. Com dinheiro para torrar, o filho vai aos mesmos lugares aonde vão os jovens, conhece alguém, namora e, às vezes, casa. A vida é então maravilhosa porque atualmente marido e mulher trabalham. Dois salários são uma benção….” Vai passando o tempo, nascem as crianças e começam os gastos, a velhice vai se aproximando e é preciso poupar, lembram da faculdade das crianças… e “O feliz casal, nascido há 35 anos, está agora preso na armadilha da Corrida dos Ratos pelo resto de seus dias. Eles trabalham para os donos da empresa, para o governo, quando pagam os impostos, e para o banco, quando pagam cartões de crédito e hipoteca. Então eles aconselham seus filhos a estudar com afinco, obter boas notas e conseguir um emprego ou carreira seguros. Eles não aprendem nada sobre dinheiro, a não ser com aqueles que se aproveitam de sua ingenuidade e trabalham arduamente a vida inteira. O processo se repete com a geração seguinte de trabalhadores. Esta é a CORRIDA DOS RATOS”.

Excelente leitura do livro.

Por Leonardo dos Reis Vilela @leoreis no MyPush app ou pelo LinkedIn.

Fonte:

Pai Rico, Pai Pobre. (Rich Dad, Poor Dad)

Autores : Robert T. Kiyosaki e Sharon L. Lechter

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *